O Dia Mundial sem Carros foi comemorado no dia 22 de Setembro para incentivar as pessoas em todo o mundo a usar outras formas de transporte como andar de bicicleta e caminhar, e também a construir comunidades de forma a reduzir as viagens pendulares. Analisámos alguns dos reais impactos ambientais dos carros e como o nosso deslocamento diário pode realmente afectar o mundo.

O primeiro automóvel a gasolina foi inventado em 1886 por Karl Friedrich Benz e inaugurou a era do motor de combustão interna e do carro. O transporte nunca mais foi o mesmo. As pessoas agora eram capazes de ir de onde quer que queriam com o apertar do pedal do acelerador. O carro deixou de ser um brinquedo de menino rico no início do século 20 para se tornar uma necessidade para os moradores do subúrbio irem trabalhar até o final do mesmo século.

No entanto, o impacto ambiental das viagens de carro tornou-se cada vez mais aparente e hoje em dia toda a gente sabe que é mais ecológico apanhar um autocarro, um comboio, andar a pé ou de bicicleta, mas como uma sociedade ainda temos que desistir de nossos carros. Os carros dão-nos liberdade de movimento e também fazem uma declaração sobre quem somos e o nosso status, mas qual é o verdadeiro custo para o mundo ao usarmos um?

 

Consome muita energia antes mesmo de chegar à estrada

O processo de produção de automóveis consome muita energia e a produção automotiva tem uma carbon footprint de carbono mesmo antes dos carros serem conduzidos nas estradas. Segundo alguns calculations, fabricar um carro cria tanta poluição de carbono como conduzi-lo. Os minerais usados ​​para criar o metal para o corpo e para o motor, os produtos químicos envolvidos na criação de plásticos, tintas, borracha, vidro e um grande número de outros componentes fabricados, consomem muita energia. As emissões de CO2 envolvidas na produção de um carro pequeno (como um Citroen C1) são calculadas como cerca de 6 toneladas e um carro grande (como um Land Rover Discovery) como 35 toneladas.

 

Impacto de conduzir um carro no ar limpo

O impacto mais óbvio de conduzir um carro é o uso de combustíveis fósseis e a poluição do ar que causam, principalmente o diesel. A queima de combustíveis fósseis leva a mais emissões de carbono na forma de CO2, mas também liberta outros gases e partículas na atmosfera. Isto inclui o ozono ao nível do solo (O3), que é uma das principais causas de doenças respiratórias crônicas, como a asma, e os seus precursores, óxido de nitrogênio, metano e monóxido de carbono.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a poluição do ar é a causa de 3,7 milhões de mortes prematuras por ano e “o transporte rodoviário é responsável por até 30% das emissões de partículas nas cidades europeias e até 50% das emissões de partículas. nos países da OCDE.”

 

Custo ambiental do petróleo e combustível

Além de como a queima de combustível no motor de um carro afeta o meio ambiente, também é importante lembrar os efeitos ambientais da própria indústria de combustíveis. Os combustíveis para transporte também gastam muita energia; portanto, simplesmente transportar petróleo e combustível da fonte para onde é consumido consome muita energia. Além disso, os derramamentos de óleo de navios-tanque ou plataformas têm um efeito devastador nos ambientes marinho e costeiro e podem levar décadas para serem recuperados.

 

Um carro na sucata também polui o meio ambiente

Depois de todas estas notícias negativas, você pode pensar que desistir completamente do seu carro é a melhor opção, mas pode valer a pena considerar se ainda pode usá-lo. Uma vez que um carro é retirado da estrada, ele pode ser descartado, mas enquanto agora cerca de 75% dos materiais dos carros novos podem ser reciclados, muitos ainda contêm plásticos, ácido tóxico da bateria e outros produtos que não são biodegradáveis ​​e, portanto, permanecem no meio Ambiente. Manter um carro velho e menos poluente na estrada e usá-lo apenas em viagens absolutamente necessárias pode ser melhor do que comprar um carro novo (movido a eletricidade, combustíveis fósseis ou ambos). Dentro da cidade, e menos poluente de todos, você também pode optar por andar de bicicleta - Lisboa tem pelo menos 90 quilómetros de ciclovias - ou apanhar o metro ou o autocarro. Os sistemas de partilha de bicicletas e carros também estão disponíveis em várias cidades do mundo.

27 set

Quão poluentes são realmente os carros?

Outras Notícias

Template Parcerias Website (8)

A Made of Lisboa e o LACS levaram-nos ao Web Summit!!

Saiba mais
IMG 4290

À conversa com: JOBANDTALENT

Saiba mais
JP

À conversa com: JPEG - DESIGN E COMUNICAÇÃO

Saiba mais
CDO 5

No trabalho com: Maria Inês Cabral

Saiba mais