A criatividade deve tornar-se a habilidade de trabalho mais procurada em 2022. O Fórum Econômico Mundial, na sua pesquisa Future of Jobs de 2018, constatou que os mercados da Europa Ocidental e dos EUA classificarão o pensamento criativo como a característica mais importante dos funcionários. Como é que o mundo empresarial moderno pode promover o conceito escorregadio de criatividade?

Como Picasso disse, "o principal inimigo da criatividade é o ‘bom’ senso”, portanto, ao desenvolver habilidades sensíveis, a criatividade pode ficar em segundo plano. O que é preciso para ser mais criativo e nutrir a capacidade dos profissionais de pensar fora da caixa? Oferecemos dicas sobre como impulsionar a criatividade no mundo do trabalho e analisamos o papel que os espaços de trabalho partilhados podem ter.

A criatividade cresce com o tempo de inatividade

O autor do best-seller Too Fast to Think e guru de relações públicas, Chris Lewis diz: “As ideias vêm das pessoas que conseguem comunicar com uma área de assunto com solidão suficiente para que as informações possam chegar até elas”. A sua teoria é que atualmente com todo o tipo de ecrãs imaginávei, a maioria dos profissionais tem tão pouco tempo de inatividade que a criatividade não tem chance de despertar.

Segundo Lewis, as melhores e mais criativas ideias aparecem quando menos se espera e nunca quando as pessoas estão se esforçando demais. Regularment,e fazer uma pausa no trabalho, de preferência num ambiente relaxante, é a solução.

Agatha Arêas, diretora de marketing do Rock in Rio, sediada no LACS desde a sua abertura, concorda. “Estar num espaço como o LACS traz-nos coisas inesperadas. Algo como a vista fabulosa do telhado que nos permite respirar apenas, por um momento, e isso é importante. Entrar em contato connosco é muito mais fácil aqui.”

O toque da diversidade

Conhecer pessoas diferentes de várias origens é uma maneira testada para se tornar mais criativa. Uma definição possível de criatividade é reunir duas ideias antigas para formar uma nova; portanto, este é o caso em que 1 + 1 realmente produz 3. As organizações precisam de adotar um pensamento pronto para uso daqueles que contratam. Isto pode significar abandonar o padrão de qualificações e habilidades e ter a oportunidade de obter uma perspetiva única.

Os espaços de trabalho partilhados são um caminho rápido para reunir pessoas que talvez nunca se encontrariam. Numa pesquisa de 2018 realizada por profissionais da Deskmag que trabalham em espaços partilhados, relataram mais confiança e criatividade como resultado.

Tiago Venda Morgado, fundador e CEO da EGG Electronics, uma start-up sediada no LACS, acha que o espaço de trabalho partilhado da empresa "é um local dinâmico para a criação devido à variedade de pessoas aqui".

Premiar a colaboração e a assunção de riscos

Assumir riscos nos negócios não é uma ideia nova, mas vale realçar que a criatividade não pode existir sem os mesmos. Para que os funcionários sejam criativos, precisam da liberdade de apresentar ideias ousadas e de serem recompensados ​​por este tipo de pensamento.

"Trabalhar num ecossistema variado exige mais da nossa criatividade e leva as pessoas a correr mais riscos", diz Tiago Venda Morgado, da EGG. "Faz parte da nossa cultura incentivar essa característica no nosso pessoal".

Agatha Arêas, do Rock in Rio, considera que o brainstorming é essencial e, nessas sessões, é essencial incentivar diferentes pontos de vista. Na sua opinião, a criatividade não é apenas para os chamados “criativos”: “Alguém no setor financeiro pode ter uma nova ideia e nós iremos segui-la. Temos uma abordagem informal e incentivamos a integração dentro da nossa equipa.”

Por fim, promover a criatividade nos negócios leva à inovação e, por sua vez, a um melhor resultado final. Simplesmente esperar que a criatividade aconteça não é uma opção.

 

 

21 mar

Criatividade no local de trabalho: como cultivá-la?

Outras Notícias

Template Parcerias Website (8)

A Made of Lisboa e o LACS levaram-nos ao Web Summit!!

Saiba mais
IMG 4290

À conversa com: JOBANDTALENT

Saiba mais
JP

À conversa com: JPEG - DESIGN E COMUNICAÇÃO

Saiba mais
CDO 5

No trabalho com: Maria Inês Cabral

Saiba mais